Uma cidade castigada pelas águas

Este foi o maior volume de chuva nas últimas duas décadas

por Flávio Fogueral

Um capítulo triste na História de Botucatu. Atingida por uma das piores chuvas das últimas duas décadas, a Cidade praticamente parou nesta segunda-feira, 10 de fevereiro, para se recuperar dos danos causados por mais de quatro horas contínuas de água. Casas alagadas, pontes destruídas, muros caídos, rodovias bloqueadas, carros submersos, lojas com produtos danificados, famílias desalojadas e muita destruição. A tormenta resultou em uma pessoa morta e mais duas desaparecidas. 

Este foi o maior volume de chuva nas últimas duas décadas. Segundo a Defesa Civil, o registro foi de 122 milímetros por metro quadrado, em menos de quatro horas. O volume é equivalente ao total de chuva no período de um mês. Isso provocou o rápido transbordo de rios e córregos, fato que surpreendeu muitos botucatuenses, principalmente moradores de regiões de margens. 

Foram 50 solicitações de auxílio registrados na Defesa Civil, entre socorro a pessoas ilhadas e registro de danos em residências. Somente na Rua Independência, 20 casas ficaram submersas. Por volta das 3 horas desta segunda-feira, moradores da região da Rua Dr. Rafael Sampaio foram acordados por um forte estrondo. Era a ponte que fazia a ligação do bairro da Boa Vista ao Centro, que cedeu completamente. Uma adutora da Sabesp também foi danificada, fazendo com que parte de Botucatu seja abastecida por caminhão-pipa.

Uma família escapou por pouco de ser arrastada pela correnteza no Ribeirão Lavapés. A chuva que caiu de forma contínua provocou a queda de parte da ponte do Salgueiro, na Avenida Petrarca Bachi. A casa a beira do rio- que era protegida por um muro de gabião- foi praticamente destruída pela água.

Outra ponte danificada severamente pela força da correnteza foi a existente na Rua dos Costas, divisa entre a Vila São Luís e Vila São Lúcio, não suportou a força da água e parte de sua estrutura cedeu. Com isso, parte dos moradores está ilhada. Muitas famílias foram surpreendidas com a rapidez pela qual a água invadiu as residências. Moradores da Vila São Luís ficaram isolados, obrigando a Prefeitura a projetar uma alternativa.

Confira as fotos da ponte que desabou na Rua Rafael Sampaio:

Outras seis pontes passarão por avaliação nas próximas horas em suas estruturas. Durante o dia circulou a informação de que o elevado Bento Natel estaria com algumas de suas colunas de sustentação comprometidas. O boato, que circulou em redes sociais, logo foi desmentido pela Prefeitura Municipal.

Logo no começo da manhã os estragos já eram visíveis. Além das pontes danificadas, além de muros como o da escola Américo Virgínio dos Santos, que caiu completamente. Também na rua Benjamin Constant, outro muro veio abaixo nas proximidades da Estação Ferroviária.

Na Rua Major Leônidas Cardoso a chuva provocou rápido alagamento no trecho próximo ao Ribeirão Lavapés. A água avançou rapidamente, sendo que moradores só tiveram tempo de se abrigar. A intensidade foi tamanha que uma caçamba foi parar em cima de um carro.

O Mercado Municipal “Progresso Garcia” foi severamente afetado com as águas da chuva. Diversos boxes na parte inferior perderam completamente todos os produtos e equipamentos. Diversos móveis foram arrastados, com geladeiras e congeladores tombados. Era possível ver a marca que indicava a profundidade da água, de mais de um metro. 

Confira as fotos dos estragos no Mercadão: 

Um parque de diversões instalado na Avenida Paula Vieira foi completamente tomado pela água decorrente da chuva que cai sobre Botucatu desde domingo. Diversos brinquedos foram destruídos e os funcionários do estabelecimento foram surpreendidos com a água invadindo os dormitórios. O parque havia iniciado as atividades no domingo e ontem os trabalhos foram para a desmontagem da estrutura.

A Associação Atlética Ferroviária ficou praticamente submersa. Todo o complexo poliesportivo ficou encoberto com a lama atingindo pontos como o campo de futebol e quadras. O muro de contenção, ao lado do córrego Água Fria, cedeu e um dos portões foi praticamente arrastado próximo ao campo de futebol.

Confira as fotos dos estragos na AAF: 

Estado de calamidade pública e abrigo às famílias atingidas

Ainda pela manhã o prefeito Mário Pardini (PSDB) declarou estado de emergência e calamidade pública. Com isso, será possível adotar medidas como contratação específica e solicitações de recursos extraordinários junto aos governos estadual e federal. “Isso possibilita contratar obras e obter recursos. O que aconteceu em Botucatu não tem precedente recente. O concentrado de chuva foi muito intenso e não tivemos o que fazer. Graças a Deus, ninguém se feriu dentro da Cidade. Nossas equipes estão trabalhando desde a madrugada para remover as famílias das casas danificadas pela chuva e dar abrigo seguro para elas”, salientou o chefe do Executivo.

As famílias atingidas pela chuva estão abrigadas no Ginásio Municipal de Esportes. O Fundo Social de Solidariedade está recebendo doações, desde roupas, produtos de higiene e limpeza, cobertores, colchões, móveis e eletrodomésticos. Os materiais podem ser levados até o Fundo na Rua General Teles, 1434 – Centro. Telefone: 3811-1524.

Ruas interditadas e com o tráfego em alerta

Seis ruas estão com o trânsito interditados e os motoristas precisam de atenção. São elas: Rua Prefeito Tonico de Barros (Centro), Rua Santos Dumont (Centro), Rua Coronel Fernando Prestes, 12 (Centro), Rua Rafael Sampaio (Centro), Rua Amando de Barros (Centro) e Rua Emílio Cani (Centro).

Rodovias bloqueadas

Na região, oito pontos de rodovias estão interditados conforme divulgado pela Rodovias do Tietê. Um deles é o quilômetro 208 da Rodovia Marechal Rondon (SP 300), em Botucatu, cujo tráfego está impedido totalmente. Também na mesma via, no km 240 (trecho da Cuesta), o trânsito encontra-se bloqueado. A situação é encontrada também nos km 232 e 229, em Anhembi; km 191 (Conchas).  

Na Rodovia João Hipólito Martins (SP 209) o trânsito foi bloqueado no quilômetro 19, apenas na faixa 2 da pista, devido a deslizamento de terra. Importante via de acesso entre a zona urbana de Botucatu e o Distrito de Rubião Júnior, bem como o câmpus da Unesp, a Rodovia Domingos Sartori (SPA 251) está com interdição total. Já a Rodovia Gastão Dal Farra a interdição é total no quilômetro 2.