Botucatu criou 350 novas vagas de trabalho em 2019

Os números representam o balanço de 17.846 contratações ante 17.497 demissões

por Flávio Fogueral

Os diversos setores econômicos de Botucatu continuam com seu processo de retomada após a crise econômica da metade desta década. Com isso, o número de vagas criadas no mercado de trabalho apresentaram evolução nos últimos anos. Dados do Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados (Caged), ferramenta oficial do Ministério da Economia, apontam que foram criadas 350 novas vagas formais de trabalho em 2019. 

Os números representam o balanço de 17.846 contratações ante 17.497 demissões nos doze meses de mensuração dentro das 7.222 empresas cadastradas no sistema. No entanto, o saldo é o terceiro pior dos últimos cinco anos, ficando atrás apenas de 2016 (-1541), 2015 (-616), 2017 (729) e em 2018 (2.271). 

Dos cinco principais setores produtivos no município, apenas dois apresentaram desempenhos negativos no consolidado do ano. Destaque para a agropecuária que encerrou formalmente 776 postos de trabalho, resultantes de 3.748 demissões contra 3.008 contratações. Com isso, as 525 empresas do segmento empregam atualmente 3.413 trabalhadores. 

Outro setor que teve desempenho negativo foi o comércio, que encerrou formalmente 55 postos de trabalho, resultantes de 3.718 admissões e 3.773 demissões. Ao todo são 2.467 estabelecimentos cadastrados no município, o que geram 8.065 empregos de maneira direta. 

Responsável direto pelo maior número de empregabilidade no ano, o setor de indústria de transformação proporcionou 573 novas vagas registradas. As 486 empresas do setor abriram 2.361 postos de trabalho, tendo encerrado 1.788. Ao todo, 9.579 pessoas estão ocupadas diretamente na indústria. 

Também apresentou desempenho positivo o setor de serviços, cujo saldo foi a criação de 474 postos formais em 2019. Este resultado foi obtido já que, de janeiro a dezembro, ocorreram 7.867 contratações e 7.393 demissões. O município concentra 3.423 estabelecimentos neste ramo de atividade que empregam 13.637 profissionais.

Por fim, a construção civil também obteve resultado de maiores contratações. Em 2019 foram criadas 141 novas vagas, resultantes de 854 admissões contra 713 demissões. As 275 empresas registradas no Caged são responsáveis por empregar, de maneira formal, 902 pessoas. 

A queda na criação de vagas em 2019 foi reforçada pelos números apresentados em dezembro. Na oportunidade foram encerradas 2.938 vagas formais de trabalho, com 677 contratações e 3.615 demissões, sendo o período com maior volume de retração. No último ano apenas os meses de fevereiro (-300), março (-439), junho (-24), apresentaram resultados negativos no nível de empregabilidade no município. 

Em contrapartida, os meses de janeiro (430), abril (55), maio (1.361), julho (248),  agosto (259), setembro (248), outubro (173) e novembro (1.276) representaram desempenho de ampla contratação de mão-de-obra nos principais setores produtivos do município.

Quanto à região, que agrega Anhembi, Bofete, Conchas, Pardinho, Pratânia, São Manuel foram criados 331 postos formais de trabalho. Ao todo, são 53.354 pessoas empregadas. nas 12.319 empresas instaladas. Foram 23.857 contratações e 23.526 demissões no acumulado.