Lelo Pagani confirma filiação ao PSDB

Filiação ocorreu em 4 de fevereiro. Pagani deve integrar a chapa de vereadores pela legenda do prefeito Mário Pardini

por Flávio Fogueral

O ex-vereador Luiz Aurélio Pagani, o Lelo, confirmou nesta semana sua filiação ao PSDB, tendo em vista as eleições municipais de outubro. Este é o terceiro partido que o político se vincula, após duas legislaturas com mandato pelo Partido dos Trabalhadores (PT) entre 2005 e 2012, uma pela Rede Sustentabilidade (2013-2016), além de uma candidatura a vice-prefeito.

O próprio Pagani confirma a ida ao novo partido, sendo que a filiação ocorreu em 4 de fevereiro. O ex-parlamentar, que deixou a Rede em 2017 e que dizia não pensar em vinculação partidária, à época, frisa que a mudança deve-se a um pedido pessoal do prefeito Mário Pardini. “Me filiei realmente ao PSDB, sendo um pedido do Pardini para ajudar na chapa de vereadores para ratificar o trabalho que vem sendo feito na Cidade”, frisou.

Pagani atualmente é assessor para Assuntos Parlamentares do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB). A ida do ex-vereador ao PSDB já era veiculada há meses nos bastidores políticos. Objetivo deve ser integrar a chapa de candidatos a vereador a ser lançada nas eleições de outubro.  “Não sou candidato ainda. Me filiei e preciso passar por etapas a serem cumpridas dentro do partido”,  ressaltou.

Após dois mandatos como vereador do PT, o qual fez base para o governo Mário Ielo (hoje no PDT), Pagani saiu da legenda em 2015, durante a crise de imagem do partido quando do processo de impeachment de Dilma Rousseff. Antes, havia sido candidato a deputado estadual em 2010, obtendo 18.752 votos. Reeleito para seu último mandato na Câmara Municipal, em 2012, obteve 1989 votos.

Filiou-se em 2015 à recém-criada Rede Sustentabilidade, onde atuou para a estruturação do partido no interior paulista. Nas eleições municipais de 2016, Pagani foi vice na chapa do também ex-vereador Reinaldinho (PR), quando angariaram 4.099 votos, ficando na terceira colocação do pleito. À época, deixou o partido  alegando “desorganização” do diretório paulista.