Enquanto o Covid-19 está em evidência, nos bastidores o mosquito faz a festa!

Entrar em pânico pela disseminação da COVID-19 e ignorar a dengue é um contrassenso muito grande

Por Patrícia Shimabuku*

Em momento de tomada de ações para o controle do coronavírus, não podemos deixar de lado as ações de controle da proliferação do mosquito Aedes aegypti. As temperaturas elevadas e a ocorrência de chuvas propiciam condições favoráveis para a proliferação do mosquito transmissor da dengue, zika e Chikungunya. 

Entrar em pânico pela disseminação da COVID-19 e ignorar a dengue é um contrassenso muito grande. Dengue e COVID-19 – as duas matam, porém, a letalidade da dengue é maior e uma velha conhecida. O poder público faz a parte que lhe cabe, mas é extremamente necessário o envolvimento de todos na prevenção de ambas.

No caso das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti basta cada cidadão adotar medidas de eliminação dos focos de acúmulo de água parada. Cerca de 98% dos focos do mosquito Aedes aegypti estão nos quintais, pátios e ambientes internos das casas e empresas.

Para eliminar os focos de proliferação do mosquito, segue algumas recomendações:

Garrafas PET e de vidro: As garrafas devem ser embaladas e descartadas corretamente na lixeira, em local coberto ou de boca para baixo. Disponibilizar para coleta seletiva.

Lajes: Não deixe água acumular nas lajes. Mantenha-as sempre secas.

Ralos: Tampe os ralos com telas ou mantenha-os vedados, principalmente os que estão fora de uso.

Vasos sanitários: Deixe a tampa sempre fechada ou vede com plástico.

Piscinas: Mantenha a piscina sempre limpa. Use cloro para tratar a água e o filtro periodicamente.


Coletor de água da geladeira e ar-condicionado: Atrás da geladeira existe um coletor de água. Lave-o uma vez por semana, assim como as bandejas do ar-condicionado.

Calhas: Limpe e nivele. Mantenha-as sempre sem folhas e materiais que possam impedir a passagem da água.

Cacos de vidros nos muros: Vede com cimento ou quebre todos os cacos que possam acumular água.

Baldes e vasos de plantas vazios: Guarde-os em local coberto, com a boca para baixo.

Plantas que acumulam água: Evite ter bromélias e outras plantas que acumulam água, ou retire semanalmente a água das folhas.

Suporte de garrafão de água mineral: Lave-o sempre quando fizer a troca. Mantenha vedado quando não estiver em uso.

Falhas nos rebocos: Conserte e nivele toda imperfeição em pisos e locais que possam acumular água.

Caixas de água, cisternas e poços: Mantenha-os fechados e vedados. Tampe com tela aqueles que não têm tampa própria.

Tonéis e depósitos de água: Mantenha-os vedados. Os que não têm tampa devem ser escovados e cobertos com tela.

Objetos que acumulam água: Coloque num saco plástico, feche bem e jogue corretamente no lixo.

Vasilhas para animais: Os potes com água para animais devem ser muito bem lavados com água corrente e sabão no mínimo duas vezes por semana.

Pratinhos de vasos de plantas: Mantenha-os limpos e coloque areia até a borda.

Objetos d’água decorativos: Mantenha-os sempre limpos com água tratada com cloro ou encha-os com areia. Crie peixes, pois eles se alimentam das larvas do mosquito.

Lixo, entulho e pneus velhos: Entulho e lixo devem ser descartados corretamente. Guarde os pneus em local coberto ou faça furos para não acumular água.

Lixeira dentro e fora de casa: Mantenha a lixeira tampada e protegida da chuva. Feche bem o saco plástico.

*Patricia Shimabuku é farmacêutica industrial, professora e ativista socioambiental. Para ler todos os artigos da colunista, acesse aqui.