Embraer: sindicato anuncia que irá monitorar situação de funcionários após retorno de atividades essenciais

sindicato reuniu-se logo após o anúncio da empresa para discutir as medidas adotadas pela fabricante

por Flávio Fogueral

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Botucatu e Região, Luiz Claudio Guimarães da Silva (Claudio Beiço), manifestou-se na manhã desta segunda-feira, 30 de março, após a Embraer anunciar que retomaria a produção nos chamados setores essenciais.

Claudio Beiço, que também é funcionário da empresa, ressaltou em vídeo postado no Instagram, que a diretoria do sindicato reuniu-se logo após o anúncio da empresa para discutir as medidas. “Vivemos um momento difícil e uma crise nunca antes vista, por conta do coronavírus. Certamente é a maior crise que este sindicato já viveu e uma das maiores da história de nosso país”, ponderou.

A reunião ocorreu após a fabricante anunciar que as atividades consideradas essenciais retomarão suas atividades (estavam suspensas desde a semana passada devido à pandemia de Covid-19), em esquema diferenciado e com a adoção de medidas de segurança. Entre elas estão o apoio à operação dos clientes, manutenção e a fabricação de aeronaves. Outros colaboradores estão desempenhando funções de maneira remota e outra parte terá férias coletivas a partir de 1º de abril.

“”Estamos em constantes reuniões com a Embraer e monitorando a situação, sendo que nesses nove dias de férias coletivas, temos que aproveitar para cuidar da saúde, preservando a vida”, salientou Beiço. “Enquanto isso, o sindicato continuará trabalhando para a preservação dos empregos e dos diretos, apesar da crise. Qualquer proposta da Embraer será discutida e decidida através de assembleia geral”, finalizou o sindicalista.