Botucatu: Prefeitura realiza “treinamento de contingência” em caso de paralisação do transporte coletivo

As 37 linhas que percorrem o município operam com a escala de domingo devido à situação

por Flávio Fogueral

A Prefeitura de Botucatu realizou neste sábado, 4 de abril, treinamento de resposta a uma possível paralisação das empresas concessionárias de transporte coletivo urbano (Stadtbus e Reta Rápido) devido à redução do fluxo de passageiros e queda de receita provocados pela crise da epidemia de Covid-19.

Desde o dia 25 de março, as 37 linhas que percorrem o município operam com a escala de domingo devido à situação. Com exceção das linhas 102 (Jd. Brasil / Vl. Paulista) e 208 ( Rodoviária / Vitoriana) que possuem horários especiais e podem ser adicionadas como reforço para as linhas com destino ao câmpus da Unesp, no Distrito de Rubião Júnior. Ao todo, as duas empresas transportam mais de 530 mil passageiros (não únicos) segundo relatório da Semutran, setor responsável pela mobilidade urbana atrelado à Secretaria Municipal de Infreaestrutura.

No entanto, com a baixa circulação nos últimos dias de pessoas determinada pelo isolamento social (medida para se evitar a disseminação da Covid-19), algumas empresas têm dado sinais de preocupação quanto a “saúde financeira” das mesmas. Com as duas concessionárias em Botucatu também não foi diferente, sendo que funcionários da Reta Rápido demonstrando incertezas quanto ao pagamento de salários e benefícios.

Tanto o Poder Público quanto as empresas mantêm tratativas para que as operações não sejam suspensas. Mesmo assim, ocorreu o “treinamento de contingência”, como definiu posicionamento enviado pela Prefeitura. Durante o dia foram simulados os usos de ônibus da frota municipal da Secretaria da Educação e outros veículos do Poder Público em caso de paralisação das linhas convencionais.