Funcionários do HC são monitorados após exposição a paciente Covid-19 fora do isolamento

Testes, até o momento, teriam apresentado resultados negativos em funcionários do hospital e terceirizados

por Flávio Fogueral

Dezenas de funcionários das equipes de saúde do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) e de empresas terceirizadas dos setores de limpeza e suporte passaram neste final de semana por monitoramento quanto a possíveis sintomas de Covid-19, doença respiratória aguda causada por coronavírus. A unidade, autarquia da Secretaria de Estado da Saúde e mantida pelo Sistema Único de Saúde (SUS), é referência regional na assistência à doença.

O caso ocorreu após a exposição dos funcionários a um paciente que foi internado dia 30 de março,  inicialmente em uma enfermaria adaptada para atendimento exclusivo ao coronavírus. O mesmo permaneceu sob observação durante algum tempo neste espaço, sendo submetido a exames comprovatórios da doença. Mesmo apresentando sintomas característicos de Covid-19, o homem foi classificado como sendo portador pneumonia. Com isso, foi transferido a uma enfermaria não destinada para coronavírus, ficando na chamada “porta aberta”, tendo contato direto com funcionários do hospital e terceirizados.

O resultado positivo a Covid-19 chegou na sexta-feira, 3 de abril, após teste feito pelo Hemocentro do próprio hospital, que possui certificação do governo paulista para a constatação da doença. Isso gerou alerta e apreensão aos funcionários. Muitos passaram por exames no mesmo dia, sendo que os resultados seriam informados em até 24 horas, segundo uma fonte* que preferiu não se identificar.

De acordo com a fonte, 53 funcionários tiveram os resultados negativos para a doença divulgados na noite de domingo. Uma circular interna à qual o Notícias teve acesso confirmou o contato dos colaboradores com o paciente positivo para Covid-19 sem isolamento. Assinado pelo superintendente do hospital, André Balbi, o documento salientou que ocorreu reunião entre a superintendência, Diretoria de Assistência, Diretoria Clínica, a Comissão de Controle de Infecção relacionada à Assistência (CCIRAS) e o responsável médico pela Unidade de Terapia Intensiva.

Segundo a circular, “todos os funcionários que tiveram algum contato com este paciente (servidores da enfermagem, fisioterapeutas, médicos, funcionários da limpeza e outros) estarão realizando exame diagnóstico no dia de hoje, em regime de urgência. O mesmo acontecerá com todos os pacientes internados naquele local. Também foram tomadas medidas visando a proteção máxima dos servidores, pacientes e seus familiares”, salientou o documento enviado à rede interna do HCFMB.

Em nota oficial, o hospital ressalta que “segue todos os protocolos de segurança para seus colaboradores e funcionários. As medidas preventivas são tomadas para qualquer paciente internado que apresentar sintoma, sendo conduzido ao isolamento e submetido a teste para COVID-19. Foi assim que o HC procedeu em relação ao caso citado, que inicialmente não apresentava quadro clínico compatível para o novo coronavírus.”

Quanto aos protocolos de segurança aos colaboradores, o HCFMB frisou que “as medidas preventivas são tomadas para qualquer paciente internado que apresentar sintoma, sendo conduzido ao isolamento e submetido a teste para COVID-19. Foi assim que o HC procedeu em relação ao caso citado, que inicialmente não apresentava quadro clínico compatível para o novo coronavírus.”

Além disso, o hospital reforçou que todos os profissionais de saúde passam por orientação e exames quando necessário. “A medida foi adotada para os funcionários que tiveram contato com esse paciente. Qualquer colaborador com sintomas ou confirmação de COVID-19 será afastado para proteção da sua saúde e das demais pessoas que frequentam a unidade. Até o momento, nenhum profissional teve diagnóstico confirmado de COVID-19.”, frisou a nota enviada ao Notícias.

*Sigilo da Fonte é garantido pela Constituição Federal

O anonimato e sigilo de uma fonte são garantidos pela Constituição Federal de 1988, em seu artigo 5º, que estabelece que “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade…”.

No inciso XIV, a Carta Magna preconiza que “é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional”. 

Sobre Flavio Fogueral