Botucatu: Conselho de cultura contesta auxílio dado pelo município a artistas

Movimento de artistas pediu ajuda pública de R$ 240 mil para enfrentamento da crise de coronavírus

Por Flávio Fogueral

Por meio de nota oficial, o Conselho Municipal de Cultura de Botucatu (CMC) expressou indignação e preocupação quanto ao auxílio financeiro solicitado aos artistas botucatuenses no período da pandemia de Covid-19. Segundo o órgão, o valor liberado pelo Conselho Diretor do Fundo Municipal de Cultura (FMC) é incoerente com as necessidades desta classe profissional.

A nota de repúdio, assinada pelo presidente do CMC, Cleberson Luis da Silva, frisa que o movimento artístico havia apresentado a solicitação de R$ 240 mil para o programa emergencial dos profissionais do setor. No entanto, o Fundo Municipal efetuou a liberação de R$ 60 mil contemplando 50 artistas da Cidade. A ajuda será em duas parcelas de R$ 600.

O conselho pede, em contrapartida, que seriam necessários R$ 240 mil para o auxílio total da classe. A verba viria de R$ 120 mil do próprio fundo e mais R$ 120 mil dos cofres da Prefeitura. A ajuda contemplaria 100 profissionais da área em quatro parcelas de R$ 600.

“O Conselho Municipal de Cultura – CMC vem manifestar o mais amplo repúdio à decisão incoerente tomada pelo Conselho Diretor do Fundo Municipal de Cultura – FMC em sua última reunião. Diante dessa decisão, o Conselho Municipal de Cultura reafirma o seu repúdio à decisão e solicita a reavaliação do caso do Conselho Diretor do Fundo Municipal de Cultura.”, escreveu Silva.