Trabalhadores da Cultura de Botucatu conseguem Edital Emergencial, após diálogo com Prefeitura

Mais de 150 trabalhadores da área se organizaram e passaram a reivindicar a criação de uma política emergencial

por Sérgio Viana

Nesta semana a Prefeitura de Botucatu e a Secretaria de Cultura devem finalizar um edital emergencial que irá contemplar artistas e produtores culturais de Botucatu (MEI’s e autônomos) que, desde o inicio do isolamento social devido ao COVID-19, tiveram suas apresentações, eventos e trabalhos prejudicados. Desde o inicio da quarentena, mais de 150 trabalhadores da Cultura botucatuense se organizaram e passaram a reivindicar a criação de uma política emergencial através do movimento #EuCuidoDaCultura.

Após algumas reuniões entre os trabalhadores, a Secretaria da Cultura e o Prefeito Mário Pardini, será publicado um Edital para contemplar 100 profissionais de áreas como Música, Circo, Teatro, Cinema, Artes Plásticas, Literatura e Dança, entre outras, para produzirem e apresentarem seus trabalhos em formato digital, como sites, vídeos ou até mesmo Lives direcionadas ao público de Botucatu.

Até o momento, para gerar este auxílio através da contratação dos trabalhadores, a Prefeitura não precisará realocar recursos destinados a outros fins, pois o total de R$120 mil já pertencia ao Fundo Municipal de Cultura, criado em 2009 para fomentar as atividades artísticas e culturais do município. “As ações conjuntas que têm sido empreendidas entre Administração, Conselho de Cultura, Conselho Gestor do Fundo de Cultura e representantes do Movimento [#EuCuidoDaCultura] buscam a aprovação e publicação de Edital Emergencial que contemple 100 projetos com a quantia de R$1.200,00 para cada”, explica Cris Cury, secretária de Cultura de Botucatu, que vê o Edital como um bom resultado do trabalho realizado junto à classe artística local.

Membros do próprio movimento #EuCuidoDaCultura estiveram junto a Secretaria de Cultura e ajudaram a definir as diretrizes do Edital, que agora aguarda o aval da Procuradoria do município.  Os artistas que atuaram nesta etapa estarão automaticamente excluídos do processo de seleção, portanto não poderão ser contratados.

“Buscamos apontar diretrizes para um edital simplificado, com base em outras experiências similares, visando facilitar o acesso ao maior contingente de trabalhadores da Cultura de Botucatu”, define o ator e produtor Fernando Vasques, da Cia. Beira Serra de Circo e Teatro. Entre os pré-requisitos para concorrer estão aspectos de vulnerabilidade social e a entrega do trabalho proposto. “Nossa vontade é publicarmos o quanto antes, para apresentar os produtos culturais em junho. Outras cidades, como São Paulo capital, Salto e Pindamonhangaba já tem políticas emergenciais à Cultura em ação”, frisou Vasques.