Botucatu: Prefeitura apresenta novas medidas para reabertura do comércio; Rua Amando poderá se tornar “calçadão” provisório

Medida passa a valer a partir de segunda-feira, 1º de junho, e atende às determinações do Estado

Por Flavio Fogueral

Reunião entre Poder Público, autoridades médicas e representantes do comércio, na tarde desta quarta-feira, 27 de maio, delineou os preparativos para a retomada do comércio de Botucatu a partir de 1º de junho, tendo em vista as novas recomendações por meio do decreto estadual.

Durante a reunião foram apresentadas as medidas que o governo do Estado determinou para 15 setores e subsetores. Pela proposta municipal o comércio tido como não essencial  (incluindo concessionárias)estará autorizado a reabrir as portas, abandonando o sistema de delivery e drive-thru. O acesso de pessoas ao interior dos estabelecimentos será permitido a um pessoa a cada 10 m², com todas s normas de higiene. A quantidade de clientes será delineada pelo alvará de funcionamento do estabelecimento. Outro ponto é que as filas externas devem respeitar o tamanho de 1,5 metro.

Uma das possibilidades é que a Rua Amando de Barros seja utilizada como “calçadão” para dispersar filas e evitar aglomerações. O trecho a ser interditado iria da esquina da Rua Prefeito Tonico de Barros com a Rua Djalma Dutra. A proposta ainda será analisada pelos lojistas, que darão o parecer à medida.

Desde o dia 1° de maio o setor comercial funciona com atendimento remoto e entregas por meio de Delivery ou Drive-thru. O modelo, no entanto, gerou contestação por parte do Ministério Público sendo que, em 18 de maio, proibiu o atendimento neste sistema. Três dias depois o decreto 11.999, expedido pelo prefeito Mário Pardini, autorizou o retorno do comércio com limitações.

A abertura de dos shoppings existentes, estará condicionada em casos em que tenham praça de alimentação com 33% de sua capacidade total, e restrição por área útil de loja.

Já restaurantes, bares e similares, com 33% da capacidade do alvará, seguindo todas as medidas de higiene. Outros setores como estabelecimentos prestadores de serviços, como advocacias, contadores, imobiliárias, seguradoras, respeitando o atendimento de uma pessoa por posto de atendimento. Em todos esses estabelecimentos deverá ser permitida apenas a entrada de pessoas com máscaras de proteção.

As atualizações das medidas serão avaliadas a cada 14 dias, podendo ser flexibilizadas para outros setores, bem como se tornarem mais restritivas.