SP vai começar a destinar leitos de UTI para outras doenças graves

São Paulo está, há dez semanas consecutivas, registrando queda no número de novas internações por covid-19

Da Redação

Com uma taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) voltados para o tratamento de casos do novo coronavírus abaixo de 50% em todo o estado, o governo de São Paulo vai começar a redirecionar parte desses leitos para o tratamento de outras doenças graves ou para cirurgias eletivas. O anúncio foi feito hoje (30) pelo governador de São Paulo, João Doria.

“Com a taxa de ocupação de leitos de UTI em queda no estado, o governo de São Paulo começa a redirecionar leitos para o atendimento de outras doenças graves”, disse. 

São Paulo está, há dez semanas consecutivas, registrando queda no número de novas internações por covid-19. A taxa de ocupação de leitos de UTI chegou a alcançar 95% durante o pico da doença no estado, mas está hoje em torno de 44%. Com a criação de novos leitos de UTI durante a pandemia, o estado soma atualmente mais de 8,2 mil leitos só de UTI.

Segundo o governo, o redirecionamento de leitos será feito de forma gradual e regionalizada, mantendo uma quantidade de leitos e de equipamentos disponibilizados para o novo coronavírus, em caso de aumento inesperado de casos.