Botucatu: sem plano de retomada, Escolas Particulares fecham as portas

Pelo menos três instituições de ensino privado de Botucatu já fecharam suas portas e o número pode aumentar

Do Leia Notícias

Um grupo de escolas particulares de Botucatu está reivindicando o direito de conseguir o retorno parcial das aulas presenciais, ainda em 2020, na cidade.

Os responsáveis procuraram a reportagem do Jornal Leia Notícias, alegando que diversos outros setores já reabriram, como comércio, bares, academias e cinemas, mas as escolas seguem sem previsão de retomada devido à pandemia de Covid-19.

De acordo com Plano SP, as escolas de todo o Estado de SP estão liberadas para a volta gradual das aulas presenciais desde o dia 7 de outubro. Porém, o Decreto Municipal nº 12.076, assinado pelo Prefeito Mario Pardini no dia 4 de setembro, não autoriza o retorno gradual em Botucatu.

De acordo com os representantes das escolas particulares, pelo menos três instituições de ensino privado de Botucatu já fecharam suas portas e o número pode aumentar.

“Muitos pais matricularam os filhos em escolas públicas por acreditar que o ano estava perdido. Outros, com filhos em fase de educação infantil, cancelaram os contratos e não planejam rematricular as crianças para 2021 por medo que as aulas não sejam permitidas. Sem um plano de retomada para o planejamento do próximo ano, as escolas não podem organizar o calendário de 2021”, afirma um dos representantes o das escolas.

O grupo aponta também o aumento de alunos com problemas psicológicos e distúrbios de aprendizado causados pelas aulas online e falta de contato humano.

Se as aulas graduais fossem permitidas, alunos com necessidade de reforço escolar e casos graves de alunos com ansiedade e crises de depressão poderiam ser amenizados, respeitando o retorno dentro da capacidade máxima de 35% na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental, e 20% para os anos finais do ensino fundamental e ensino médio, com distanciamento e seguindo os protocolos de saúde.

O grupo ligado as escolas particulares também critica a falta de posicionamento da Prefeitura de Botucatu sobre a retomada das aulas. “Queremos, pelo menos, conversar, acertar os detalhes para o retorno das aulas em segurança, mas até agora não conseguimos essa abertura para nosso setor”, lamentou o porta voz do grupo.

O que diz o Plano SP

Os riscos para saúde mental dos estudantes com longos períodos de isolamento devido à pandemia e ao fechamento das escolas têm sido apontados em alguns estudos. Segundo pesquisa Datafolha, 75% dos estudantes das escolas estaduais de São Paulo declararam que estão tristes, ansiosos ou irritados.

A Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou que a paralisação das aulas presenciais gera uma “catástrofe geracional que pode desperdiçar um potencial humano incalculável, minar décadas de progresso e acentuar desigualdades.”

Para a retomada, as escolas também terão de respeitar o limite máximo de alunos nas unidades e os protocolos sanitários.

Cada escola poderá optar pela reabertura regionalizada a partir de um processo de consulta com envolvimento da comunidade escolar – pais e responsáveis, estudantes e educadores.

Se a escola optar pela reabertura, os professores que tiverem interesse poderão realizar atividades com poucos alunos. Apenas participam os estudantes que tiverem anuência dos responsáveis, sendo que aqueles que fazem parte do grupo de risco devem permanecer em casa. Do mesmo modo, profissionais da educação do grupo de risco continuam trabalhando remotamente.