Botucatuense combatente na 2ª Guerra Mundial recebe homenagem do Exército

Firmino é um dos cinco últimos veteranos da Força Expedicionária Brasileira ainda vivos

Do Exército Brasileiro

 “Este humilde soldado está vivo aqui, recebendo essa grande homenagem que nunca vi nada igual em toda a minha vida. Estou muito agradecido, muito obrigado mesmo, isso me deixa emocionado”. Foi com esse sentimento que o veterano da Força Expedicionária Brasileira, Antônio Fermiano, recebeu o carinho do Exército Brasileiro na manhã de 26 de outubro.

Em frente à residência do ex-combatente, a fim de honrar a memória dos seus feitos, a Banda de Música da Base de Administração e Apoio do Comando Militar do Oeste o surpreendeu com a Canção do Expedicionário, no dia em que ele completou 98 anos de vida. O pracinha foi aplaudido pelos militares, familiares e vizinhos pelo seu aniversário e pela bravura e destemor ao embarcar para a Segunda Guerra Mundial e colaborar com a campanha da Força Expedicionária Brasileira.

Emocionado, em mais um momento histórico da sua vida, o Senhor Fermiano recebeu, da Associação Nacional dos Veteranos da FEB, a Medalha de Campanha que foi perdida ao longo do tempo e sempre desejou tê-la de volta.

“Para nós, filhos, essa homenagem é uma alegria e um merecimento do meu pai que sempre teve uma vida dedica à Pátria. Ser filha dele, pra mim, é uma honra e um orgulho, porque, além de ser o herói da nossa família, ele é um herói nacional,” enfatizou a filha, Senhora Ivanir Fermiano.

Para o neto, Vinicius Fermiano de Bulns, a surpresa foi digna de um herói. “Ele sempre conta histórias que, normalmente, não estão nos livros. É maravilhoso tê-lo lúcido, conversando sobre tudo, isso é único. Meu avô, pra mim, representa um exemplo de homem. Ele é um herói, foi para a guerra, voltou e está conosco até hoje”.

Quem também fez questão de acompanhar esse dia de festa na vida do veterano foi o casal Igor da Silva Soares e Natália Fernades Soares, admiradores dos ex-combatentes da Segunda Guerra Mundial. “Vir aqui prestigiar é o mínimo que podemos fazer, pois ele e os outros pracinhas brasileiros fizeram muito por nós, lutaram pelo nosso País. Precisamos reconhecer e prestigiá-los sempre”.

Natural de Botucatu (SP), Antonio Firmino, atualmente, vive com a família em Campo Grande, sendo um dos cinco últimos veteranos da Força Expedicionária Brasileira ainda vivos, residentes no estado de Mato Grosso do Sul.