Artista da dança, botucatuense Marília Coelho faz live apresentando o espetáculo Lapso

Espetáculo poderá ser visto ao vivo nos dias 28 e 29 de novembro às 20 horas no Youtube

Da Redação

A artista da dança Marília Coelho apresenta o espetáculo Lapso, impulsionada pelos desafios nas relações do movimento do seu corpo com o tempo. O espetáculo poderá ser visto ao vivo nos dias 28 e 29 de novembro às 20 horas no Youtube, com distribuição de ingressos pela plataforma Sympla. 

Haverá também a oficina online Tempo e Distorções, onde Marília compartilhará o processo criativo deste trabalho nos dias 21 e 22 de novembro pelo Zoom. Ainda como parte das ações deste projeto, que conta com apoio do Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo, haverá o lançamento da web arte lapsolapso.com, criado em parceria com o artista visual Bruno Kurru. Neste site, Marília apresenta uma transposição poética do espetáculo para o ambiente virtual.

Lapso foi concebido na Turquia, em uma residência no espaço ÇATI Çağdaş Dans em Istambul. Sua trilha sonora é assinada pelo músico turco Serhan Berberoglu, parceiro da artista nesta criação. Em cena estão também as bailarinas Fernanda Ribeiro e Maré Magalhães e o desenho de luz é de Leandro Dal Farra.

O espetáculo teve estréia em 2014 e desde então vem se desenvolvendo, onde a artista buca se aprofundar nas pesquisas de movimento, construções rítmicas e composições dramatúrgicas. Inicialmente o espetáculo circularia por dez cidades do interior do Estado de São Paulo, mas devido a pandemia que assola o país, está sendo adaptado para esta apresentação online, que de certo modo está sendo bem vista pela equipe do projeto: “Existe a possibilidade de alcance para outras regiões do Estado e também do Brasil, ampliando as chances de troca”, diz a artista.

O espetáculo será apresentado ao vivo, direto do palco do Mirante das Artes, um importante Centro Cultural que fica em Botucatu no interior de São Paulo. Uma coreografia com a câmera está sendo criada para que o espetáculo seja apresentado de forma dinâmica, onde a captação da imagem acontecerá de dentro do espaço cênico, e não apenas como um registro estático da dança.

Lapso foi construído como um jogo coreográfico que sugere camadas sobrepostas de fruição, manipulando a percepção sobre o movimento no espaço e propondo a ampliação da sensibilidade do olhar do público, para que perceba as sutilezas dos movimentos do corpo. A oficina Tempo e Distorções traz um aprofundamento do processo criativo deste trabalho, onde aborda, através de exercícios práticos, diferentes camadas da dança como o corpo, o espaço, as ações, as dinâmicas e a instabilidade. Nesta oficina também são abordados aspectos históricos e coloniais da dança ocidental, bem como um olhar para danças étnicas de diferentes povos originários.

A webarte lapsolapso.com vem como uma complementação poética destas ações, que terá composição assinada pelo artista visual Bruno Kurru. A partir do espetáculo Lapso serão produzidos materiais como desenhos, colagens, vídeos e sons, compondo poeticamente este ambiente virtual. Neste site também estarão expostas seis fotografias do artista Flávio Samelo, importante fotógrafo nacional que registrou momentos do processo criativo de Lapso.

Natural de Botucatu, Marília se formou em artes corporais na Unicamp em Campinas em 2005 e durante a graduação, participou de pesquisas com professores da física quântica e da matemática. Estudou também na Trinity Laban Conservatoire of Music and Dance em Londres, buscando se aprofundar nos estudos do movimento, propostos por Rudolf Laban (1879 – 1958), maior teórico da dança do século 20. Participou tambem como intérprete de várias montagens com renomados coreógrafos nacionais e internacionais.

De natureza inquieta e com um olhar crítico sobre os modos de vida contemporâneo, deixa-se atravessar por valores e saberes de povos originários, que atravessam seu pensamento artístico e modos de produção. Teve o privilégio de poder viajar por diversos países, tendo apresentado trabalhos em Portugal, Peru, Espanha, Chile e Índia. Neste último, dançou com um grupo folclórico de Mayur Nritya. “Minha prática e criações são atravessadas por todas essas confluências”, diz. Há 15 anos Marília participa do núcleo de danças Maya-Lila, ao lado das bailarinas Melina Scialom e Danielle Laetano. Com ele, participou por três edições do Boom Festival, incluindo participação no longa metragem deste importante festival: “A Boom message: The Alchemy of Spirit”. Atualmente o grupo está em um novo processo de criação e conta com 12 artistas integrantes.

Para roteiro

Lapso – espetáculo de dança de Marília Coelho. Apresentações e bate papo ao final: Dias 28 e 29 de novembro, às 20 horas, ingressos a R$ 25,00 pelo site senteovento.org

lapsolapso.com – Lançamento da webarte: Dia 30 de novembro

Tempo e Distorções – oficina de dança: Dias 21 e 22 de novembro, das 10 às 12 horas. Ingressos a R$ 25,00 pelo site senteovento.org