Cães apreendidos em criadouro ilegal ainda não estão disponíveis para adoção

Animais integram processo e do inquérito aberto pelas autoridades contra uma mulher de 63 anos

Da Redação

Os cachorros apreendidos após operação policial que deflagrou um  criadouro clandestino, na região da Vila dos Lavradores, ainda não estão à disposição para adoção. Isso porque eles são parte do processo e do inquérito aberto pelas autoridades contra uma mulher de 63 anos, proprietária da casa.

Nota oficial emitida pela Prefeitura de Botucatu reforça que os mais de 50 cães entre filhotes e adultos, das raças Spitz alemão e maltês, estão sob tutela da Vigilância Ambiental em Saúde, recebendo assistência veterinária, e aguardando enquanto correr o Processo Judicial do caso, que não tem prazo para ser finalizado. O canil municipal tem recebido diversos telefonemas durante o dia com dúvidas sobre possível adoção.

A nota ressalta que o próprio canil possui dezenas de cães e gatos disponíveis para adoção e que a população pode entrar em contato pelo telefone (14) 3811-1515 ou na sede do serviço, na Avenida Itália. Os animais disponíveis para adoção podem ser conhecidos virtualmente, clicando aqui.

O valor de mercado de um filhote de sptiz alemão pode variar de R$ 4 mil a R$ 5 mil.

Relembre o caso

O criadouro ilegal, na Rua Cesário Motta, foi estourado pelas autoridades após uma denúncia anônima. Muitos dos animais estavam em gaiolas ou soltos em um corredor estreito. O mau cheiro era perceptível na rua. Alguns dos animais se encontravam doentes e desnutridos, conforme análise da veterinária acionada. Havia uma fêmea gestante entre os cães. A atividade seria irregular já que não há cadastro dos mesmos como criadores.

A dona da casa, de 63 anos, foi presa em flagrante, já que criadores de cães para comercialização precisam ser cadastrados junto à Prefeitura, cumprindo uma série de procedimentos que visam garantir o bem-estar dos animais. A acusada- que já havia sido processada também por criação e comercialização ilegal de cães- foi levada para a cadeia de Cesário Lange, passando por audiência de custódia e liberada em seguida.

Leia mais:

Polícia de Botucatu resgata mais de 50 cães vítimas de maus tratos